• Banner Policlínicas Regionais

Mineração

17/04/2017 16:30

Largo conclui reparo de forno em mina de vanádio na Bahia

A Largo Resources, dona da mineradora Vanádio Maracás, disse que concluiu a troca do material refratário de um forno e que obteve um empréstimo de US$ 2 milhões para reforçar caixa da companhia.

A Largo Resources, que tem como subsidiária a mineradora baiana Vanádio Maracás, disse que concluiu a troca do material refratário de um forno, o que demorou 20 dias, e que obteve um empréstimo de curto prazo de US$ 2 milhões até a conclusão da nova estrutura de capital da empresa.

Segundo a Largo, a troca do material refratário foi concluída dentro do prazo de 20 dias. "A substituição foi concluída no prazo e dentro do orçamento e a produção já voltou ao nível normal", diz a nota divulgada na quinta-feira (13).

A mina produziu e estocou material suficiente para que a produção continuasse durante o fechamento do forno, mas abaixo do nível esperado e a Largo "foi capaz de alcançar suas metas de produção [de pentóxido de vanádio (V2O5)] durante o período".

Enquanto o refratário era substituído, a companhia incorporou várias melhorias nas áreas de lixiviação e do forno rotatório para melhorar a taxa de recuperação. "Também foram feitas melhorias na área de fusão, o que deve aumentar a capacidade de produção. A companhia acredita que esses esforços em melhorar a recuperação de forma geral vai levar a produção mensal a até 840 toneladas por mês a partir de maio de 2017, o que é 5% a mais em relação à capacidade de projeto", diz o comunicado.

"Além de completar esse grande projeto dentro do custo e do prazo, também fomos capazes de fazer várias melhorias durante a parada. Como resultado, prevemos resultados de produção ainda melhores no futuro. Esse aumento previsto da produção com o aumento de aproximadamente 10% no preço do V205 desde a primeira semana de janeiro de 2017 vai melhorar significativamente o fluxo de caixa no nível operacional", disse Mark Smith, CEO da Largo, em nota.

A Largo também disse que obteve um empréstimo de US$ 2 milhões por seis meses. O empréstimo vai ajudar a Largo Resources, a companhia mãe, a cumprir seus compromissos de caixa no curto prazo enquanto continua a manter o foco na melhoria da atual estrutura de capital. Para obter o empréstimo, a companhia emitiu 400.000 opções de compra de ações ordinárias aos credores. As opções podem ser exercidas ao preço de 50 centavos de dólar canadense até dezembro de 2020. Esse é o mesmo valor da ação hoje na Bolsa de Toronto.


Fonte: Notícias de Mineração Brasil

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.