• Banner Policlínicas Regionais

Infraestrutura

06/02/2018 17:00

Acordo entre chineses e Bamin pode viabilizar a construção do Porto Sul

Representantes de três empresas chinesas e da Bahia Mineração (Bamin) devem assinar hoje (6) um documento que permitirá a discussão do projeto para a formação de uma joint venture com o objetivo de viabilizar a construção do Porto Sul, na Bahia. A reunião para o acordo será acompanhada pelo governador do Estado, Rui Costa (PT).

O Porto Sul tem investimento total previsto de R$ 2,7 bilhões e será construído na localidade de Aritaguá, no litoral norte de Ilhéus (BA). O empreendimento, assim como a Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol) são considerados imprescindíveis para a viabilização do projeto Pedra de Ferro, da Bamin, mineradora controlada pelo Eurasian Resources Group (ERG), que prevê a produção anual de aproximadamente 20 milhões de toneladas de minério de ferro.

Desde o ano passado, o Notícias de Mineração Brasil (NMB) noticia o interesse de empresas chinesas em participar da construção do apoio logístico ao negócio. Em junho, por exemplo, representantes da Bamin e do governo da Bahia se reuniram com executivos das empresas CREC10, CREC4, CCCC, Concremat Engenharia e China Minmetals.

Ontem (5), o prefeito de Guanambi, Jairo Magalhães, recepcionou a comitiva formada por empresários chineses que fazem parte do consórcio que irá gerenciar a retomada das obras da Fiol, e o presidente da Bamin, Eduardo Ledsham.

Em nota, a prefeitura afirma que o prefeito conversou com os empresários e discutiu questões técnicas da visita à cidade e ao trecho da ferrovia. Em fevereiro do ano passado, o prefeito já tinha se reunido com o embaixador da China no Brasil, Li Jinzhang, a embaixatriz Huang Minhui.

De acordo com a prefeitura de Guanambi, a visita é parte final da realização de estudos de viabilidade técnica, econômica e ambiental, além de trabalhos preparatórios que vão dar as condições para iniciar a construção do Porto Sul, simultaneamente à retomada da Fiol para os próximos meses. A Parceria Público Privada (PPP), foi possível, após assinatura de memorando de entendimentos com empresas chinesas interessadas em investir em obras de infraestrutura na Bahia, feita pelo governador Rui Costa em visita à China no ano passado. Com informações do jornal Bahia Econômica e da prefeitura de Guanambi.

Fonte: Notícias de Mineração Brasil

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.